O Cerrado - Setembro/2001

Categoria: 

Ano II - Referência: Setembro de 2001
O Cerrado é o Informativo do Grupo Escoteiro Marechal Rondon - 4º DF
Editorial

Setembro está acabando. E parece que a esperança da humanidade também.  Os atentados aos Estados Unidos são realmente um ato condenável. Mas aos menos de eficácia duvidosa seria um contra-ataque. Palestinos e Israelenses estão nesse jogo de “Foi ele quem começou!” a pelo menos 50 anos e mesmo um poderio militar muito maior dos judeus não pôs fim ao conflito

E nós? Vamos ficar sentados esperando uma guerra do “Bem contra o mal” mesmo sabendo que o auto-aclamado bem não é tão bonzinho assim? Se for esta mesma a nossa decisão, então a esperança no mundo acabou...

se não for, esperamos que os culpados sejam punidos, com firmeza e justiça, sem vingança. Afinal, um erro justifica outro? Para nós de O Cerrado não. E por isso, ao invés de ficarmos imaginando uma guerra vamos tentar imaginar a paz.

            Um Forte Abraço da Equipe de O Cerrado.

 

Imagine Imagine que não exista o paraíso É fácil se você tentar Sem inferno sob nós Sobre nós, apenas o céu Imagine todas as pessoas Vivendo para o agora. Imagine que não existam países Não é muito difícil Nada para se matar ou morrer Nem pela religião. Imagine todas as pessoas Vivendo a vida em PAZ Imagine que não há “donos” Eu acho que você consegue Nenhum motivo para a gula ou a fome Uma irmandade entre os homens Imagine todas as pessoas Compartilhando todo o Mundo. Você pode dizer que eu sou um sonhador Mas eu não sou o único Espero que um dia você se junte a nós E o Mundo viverá como se fosse um só.

John Lennon 

Fique Ligado!
 29 e 30/09 – AREPIO; 30/09 – Caminhada do Envelhecimento Saudável; 06 e 07/10 – 26ª JANBRA; 20 e 21/10 – 44º JOTA e 6º JOTI; 19/11 – Dia Internacional de “Fazer a Diferença”; 
  Explorando a Rede! Sempre que alguém no mundo começa a procurar sítios sobre escotismo, a palavra inglesa “scout” vem à mente. E mundialmente o domínio “.com” é o mais usado. Então juntar as duas coisas levaria a um sítio mundial do escotismo. Bem, as coisas não são bem assim, mas o sítio deste mês tem a pretensão de “...dar suporte ao Escotismo no mundo. Nos dedicamos a criar um ‘website’ onde escoteiros e escotistas tenham a chance de se comunicar e adquirir conhecimento; diminuindo a distância entre eles.”  Então, vamos ajudá-los? www.scout.com    KRAKATOA  

Por Carolina Torres

Não, eu não vou falar do vulcão que em 1883 entrou em erupção e destruiu mais da metade da Indonésia, matando mais de 36.000 pessoas. Esse Krakatoa foi o que nos dias 7, 8 e 9 de setembro uniu ainda mais o Grupo Escoteiro Marechal Rondon, e com um toque especial: o nosso acampamento de Grupo contou com a presença do Clube dos Pais e sua animação. Pode até parecer chato a gente sair de casa para ir acampar, chegar lá e encontrar com os nossos pais. Mas foi diferente. O único momento em que estivemos juntos foi no Fogo de Conselho, que mais uma vez foi a melhor parte de todo o acampamento. As peças e as palmas apresentadas pelas patrulhas animaram o nosso fogo, mas o que mais arrancou gargalhadas dos escoteiros foi a paródia da música "A árvore da montanha" apresentada pelo Ronaldo (integrante do Clube dos Pais) - contando fatos marcantes do nosso 14º Acampamento de Grupo. No acampamento teve de tudo: alegria, diversão, disposição. Só não teve a Tropa Sênior...   O dia em que a Terra parou...

Por Clóvis Henrique

         Toca Raul! “... o dia em que a Terra parou...” Raul, um grande poeta. Mas aí... vamos ao tema do texto. Dia 11 de setembro de 2001, essa data não será esquecida pela humanidade. Dia em que os Estados Unidos sofreram o maior atentado de sua história. Dia em que o mundo parou atônito, para ver as cenas de uma tragédia.             A polícia do mundo, como gostam de ser tratados os americanos, não foi eficiente a ponto de deter a ousadia dos ditos terroristas. Audácia, isso talvez defina a ação. Quem poderia imaginar o seqüestro simultâneo de 4 aviões e o posterior uso dos mesmos como bombas? Indubitavelmente os responsáveis pelos atos foram brilhantes ao ponto de não cometer falhas.             Calma! Não estou defendendo os ataques. Só quero que você reflita um pouco sobre o tema e depois escolha seu posicionamento. A intenção deste escrito é não cair na mesmice de nossa grande mídia.             A honra do Tio Sam foi ferida. E vejam só... Nos dois pontos mais badalados: força armada e economia. Creio que não foi ao acaso a escolha dos alvos: Pentágono, símbolo do poderio militar e World Trade Center, coração dos negócios capitalista na cidade tão proclamada como vitrine do mundo.

            Preciso registrar meus sentimentos pelas vidas humanas ceifadas de forma tão cruel. É muito ruim ver humanos, irmãos, sendo feridos e mortos injustamente. No entanto, não só no dia 11 de setembro isso aconteceu. Os conflitos no Oriente Médio e nos grandes centros urbanos dos países periféricos são diários. A grande imprensa banalizou a violência e a transformou em estatísticas. E se queremos números, podemos ter certeza que os bombardeios americanos e os patrocinados pelos mesmos no Oriente superaram e muito, em número de mortos, o atentado acima referido.

            Será que foi bom os Estados Unidos tremerem? Não sei. Adoro a revolução! Luto e lutarei por ela, mas sem sangue. Uma revolução silenciosa está ocorrendo no mundo. Ela é lenta e gradual, mas gera resultados. O chavão “violência gera violência” é comprovado a cada dia e o episódio aqui analisado corrobora com isso. Os Estados Unidos estão colhendo o que plantaram, ou seja, miséria e discórdia. Ainda não têm certeza dos responsáveis, mas penso que mesmo que não os encontre poderão forjar algo para revidar o ataque.             Uma rádio perguntou aos ouvintes: Você acha que os atentados justificam uma ação bélica? 75% dos pesquisados responderam: sim! Tudo bem. É assim que o mundo continuará a encarar os fatos. Veremos onde a humanidade chegará e espero com fé que não seja próxima do fim.             A Terra parou para ver pela TV cenas de grande impacto e emoção. Podíamos aproveitar o ensejo para refletir nossa condição nesta casa. Cada dia mais a humanidade mostra-se desumana. Paz! Paz! Paz! É disso que precisamos e não de revidar ataques ou de nos armarmos até os dentes. Será que devemos continuar nossa existência seguindo “The American Way of Life”? É... Pensar Enlouquece... Pense!   Escotismo – O conto do não era uma vez.

Por Danilo Pires

Caro leitor, se espera encontrar algo de concreto e analítico, para neste ponto. Para você que ainda continua, mesmo que apenas por curiosidade, você já escutou alguém falar “no tempo que escotismo era escotismo”, ou algo do tipo “quando o grupo, era “o grupo”? Quem sou eu para falar com profundo conhecimento sobre o assunto. Só que pra mim, esta história “que era”, “porque já foi”, “no meu tempo, não era assim”, parece mais com conto de fadas. E se pararmos pra analisar, a pessoas que mais gastam seu tempo com isso veremos que, por tabela, não fazem quase nada pelo escotismo atual. Na verdade há muita fantasia no passado. Eu amo o escotismo, apenas não concordo com pessoas que vivem do passado, ou acho que até mesmo nele.

 Veja, se essas pessoas (que só falam no passado) dedicassem esse tempo para resolver os pequenos problemas, talvez elas não se metessem numa bola de neve de problemas muito maior hoje. O escotismo hoje não é o mesmo “Escotismo para Rapazes” escrito por B-P (Existem pessoas que ainda tem esse livro como bíblia do escotismo). Por isso é escotismo hoje. Por que não pára no tempo. Adapta-se a realidade de uma sociedade, por sinal, bastante louca (seja ela qual for).

            Não vou fazer utopia com presente. Mas fico muito feliz vendo os jovens se desenvolvendo. Acredito que isso é muito mais interessante de se comentar. O jovem que apresenta potencial de liderança, a jovem que a cada atividade perde sua timidez ou o carinho dos lobinhos (prefiro assim pensar) que me acordaram pulando em cima de mim no último acampamento.

            Vamos falar do que aconteceu na semana passada. Do que se passa com os jovens agora. Vamos trabalhar para que possam ser cidadãos nos dias de hoje. É isso o que importa. Vamos lembrar que o escotismo é um movimento.  De jovens e para jovens. Vamos ajudá-los, não criticá-los. Temos problemas? Tentemos dialogar...E dialogar... Essa é uma tarefa muito difícil... Mas, sobretudo, ajudemos. Hoje.  E na dúvida: “ASK THE BOY”.

 

Os Números

Por Marcelo Xaud

200, 80, 09... Esses números começaram a aparecer envoltos em chamas. Não, não são os números de série dos Aviões da American Airlines... Mas nos sonhos de um amigo. Intrigado ele pergunta: “O que será que eles significam?” Ninguém do circuito escola-casa-bar-casa sabia responder a esta pergunta. E o pior é que o sonho se repetia a cada noite. “Não sei o que fazer! Já estou ficando desesperado!” – disse chegando a mim. Comentei que devíamos procurar um especialista em sonhos. “Mas eu só lembro dessa profissão no Egito Antigo.” – respondeu-me o amigo provando que, desespero por desespero, algumas coisas passam dos limites...

Mas esse é o tipo de coisa que alguns psicólogos podem fazer. Nossa jornada começou entrando em contato com as mais diversas especializações da psicologia. E recebendo sonoros “não”. Bom, mas fomos compensados com a recepção do Dr. José. Alegre e aparentemente normal (dizem que quem mexe com doido também fica...) o Dr. José acolheu o caso nos dando uma “tremenda” esperança: “Sonhos, apesar do que diz a crença popular, refletem acontecimentos vividos. Nunca o futuro. Só temos que descobrir onde você viu esses números”. Sorrimos animados. Mas logo o susto mudou a configuração do sorriso. “Cada consulta R$ 100,00?! Só sendo louco mesmo!” E depois perguntam porque a medicina moderna não funciona... Decepcionados com os resultados obtidos com a escolha mais plausível, uma visita a Dona Esmeralda (uma cartomante aqui do Planalto central) não pareceu apelativa. Uma sala forrada de roxo, com bruxas e duendes espelhados e complementando enfeites de cristal. No meio uma cadeira, grande e confortável, e um banquinho. Ela, obviamente, sentou na cadeira mais confortável. Mais os R$ 10,00 da “consulta” não poderiam comprar conforto. “Temos que nos despir de necessidades materiais” – disse ela quase que adivinhando nossos pensamentos. Explicamos nosso tormento (A esta altura já era meu também) e ouvimos a seguinte: “Esses números estão alertando para o futuro. A soma deles dá dezenove e a soma desses dá dez. Um e zero forma o número um. E esse é o número da oportunidade. Você está prestes a viver um momento onde a sua escolha vai definir toda a sua vida.” Então tá... Mas essa não nos convenceu. Quem foi que disse que o um é o número das oportunidades? Bom, podia até ser... Mas quem garantiria esse fato para dois leigos em plena tarde de quinta-feira? Na volta para casa, de ônibus, a conversa foi para tentar descobrir de onde vinham os tais dígitos. Bom, os dois faziam engenharia. Podia ser isto! “Mas aí... A álgebra simples deixa de fazer parte da engenharia até a hora da revisão das avaliações.” – retrucou o sonhador. Algum número de telefone trocado? “Só se fosse na Tailândia...” – respondi na minha vez de ser sarcástico. A conversa estava caminhando para um embate físico quando um outro amigo, escoteiro, deu as caras no coletivo. “Quando batemos o carro, acontece dessas coisas.” – disse justificando sua aparição.   Passamos então a assuntos comuns entre escoteiros. Depois de uns cinco minutos, surgiu um curso. “E aí, vai participar do curso este final de semana?” – perguntei. “Não, eles não me ajudam em nada.” – respondeu o escoteiro, antes de concluir: “Sabia que, por ano, 200 pessoas concluem o curso Preliminar, 80 o curso básico e só 9 o curso Avançado? E é só neste último existe o grande ‘senão’ desses cursos, a troca de experiências.” Ao ouvir isto, o sonhador deu um pulo. “São os meus números!” Isso gerou uma discussão interessante no corredor do Grande Circular. Conclusão? Um suspiro de alívio. Mas permitam uma consideração que não nos ocorreu durante as sucessivas paradas. Esses números são preocupantes. Muitos dirigentes hoje em dia estão com estes dados atormentando o sono. Podem não ser exatamente estes, mas a proporção vale do mesmo jeito. Tão aterrorizantes que atravessariam mentes. E como foram atormentar um “playboy” de Brasília?  Ah, boa pergunta. Mas permita-me parafrasear os torcedores do Botafogo: “Tem coisas que só acontecem no Escotismo...”    Manual de Instruções: Como Fazer Quase Tudo. Tratando o Lixo.  Esta deveria ser uma das principais preocupações dos campistas: Como tratar o lixo em um acampamento? E o fato de poucas pessoas saberem resolver este problema mostra que quase ninguém se preocupa com isto.  Parece difícil... Mas nesta edição de O Cerrado vamos tentar mostrar que não é.             Primeiro precisamos saber o que é lixo.  No campo é qualquer coisa que não é comum á região. Então, restos de comida, embalagens de qualquer tipo e detritos gerados pela presença humana são lixo.             Depois precisamos ter em mente que a natureza só é capaz de aproveitar o “lixo” que ela mesma produz.  Isso quer dizer que o lixo orgânico que nós produzimos não vai encontrar um ambiente pronto para recebe-lo. O que pode prejudicar todo um ecossistema...             Assim, vamos descobrir que a melhor forma de tratar o nosso lixo é levá-lo de volta para nossa cidade.  Não que a forma como ele é tratado pelas empresas de Limpeza urbana seja a mais correta, mas ela ao menos concentra o impacto ambiental em um só local.             Então, devemos separar nossos dejetos em orgânico e seco, guardá-lo em sacos adequados e separar espaço no carro para colocá-lo na hora do retorno. Nunca queimá-lo ou enterrá-lo, pois isso contamina o ar ou o solo. Isso pode não garantir o futuro da humanidade...  Mas sem dúvida seu local preferido de acampamento vai permanecer intacto por um bom tempo.  
Pensar enlouquece... Pense!

“Conselho é aquilo que pedimos quando já sabemos a resposta, mas gostaríamos que não fosse aquela”.

Erica Jong

“Um narcisista é alguém mais bonito que você”.

Gore Vidal

“A tragédia da velhice não é existir o velho, é existir o jovem”.

Oscar Wilde 

Você é capaz? Resposta do último desafio:    A chave é o nome Maitê, sem o acento, claro. A idéia aqui é usar mais a observação que a lógica.  Apenas uma letra aparece três vezes na dica. Com isso ficamos sabendo que o símbolo è equivale ao “E”. Então, os símbolos è&, èÉ e Xèequivalem às sílabas “EM”, “ES” e “DE”. Só não sabemos em que ordem... Dessas, o “S” aparece somente uma vez. Então o Éequivale ao “S”. Outro símbolo que só aparece uma vez é o ã. Daí, podemos afirmar que este símbolo representa o “I”. Concluímos então que “M” só pode ser dado por &. Nossa chave já tem três letras (M  ƒ I  ¼ E). Epa, o “N” também só aparece uma vez! Por eliminação, co pode ser o símbolo . O que leva o “A” a ser dado por ƒ. Como o “A” só aparece de novo ao lado do “T”, ele só pode ser representado pelo símbolo ¼. Alguma dúvida?   Nesta edição o desafio é sobre computadores, confira:
            Computadores trabalham em base binária. Isto quer dizer que eles usam os termos “0” e “1” para dizer se uma coisa é verdadeira ou falsa (Na teoria qualquer operação pode ser decomposta em afirmações deste tipo). E os números também são assim. Vamos raciocinar um pouquinho? Se o zero é descrito na base binária por “0”, o número um por “1”, o dois por “10” e o quatro por “100”, como será descrito o número 1024?
Respostas na próxima edição.  

Ruim de dar dó!

 Três homens discutiam qual era a profissão mais antiga. O carpinteiro começou a falar: - A carpintaria é a profissão mais antiga. Na época do Dilúvio, quem construiu a Arca tinha de ser carpinteiro! Indignado, o jardineiro retrucou: - E quem plantou, uma a uma, as plantas do jardim do Éden? Só pode ter sido um jardineiro! Ouviu-se uma sonora risada. Os dois olharam para o eletricista. Este disse com a maior naturalidade: - E quando Deus disse ‘Faça-se a Luz!’ quem vocês acham que ‘puxou’ a fiação?                               Um homem vê um cartaz anunciando uma vaga para “Solucionador de Problemas”, com salário de R$ 100 mil. Candidata-se, passa por uma entrevista e logo é contratado. -  Alguma dúvida? Pergunta o novo patrão. - Apenas uma – responde o homem – Como podem pagar um salário tão bom assim? - Esse – diz o patrão – é o seu primeiro problema.     A mulher de um sujeito mulherengo vai à cartomante: - Não posso esconder-lhe a verdade: prepare-se para ser viúva. Seu marido vai morrer logo, logo... -  Sim, sim! – agita-se a mulher. Mas o que diz aí? Eu vou ser absolvida?   

 Erratas

    Na edição passada não descobrimos nenhum erro crasso. Mas contamos com você, leitor, para aponta-los sempre que existirem, para que possamos oferecer sempre o nosso “Sempre Alerta para Servir o Melhor Possível” !

 
Equipe de O Cerrado:Ramo Escoteiro – Carolina Torres.
Ramo Sênior – Paula Barreira. Ramo Pioneiro – Clóvis Henrique e Danilo Pires. Colaboradores – Jefferson Matos, Marcelo Xaud e Thiara Torres.

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Each email address will be obfuscated in a human readable fashion or, if JavaScript is enabled, replaced with a spam resistent clickable link. Email addresses will get the default web form unless specified. If replacement text (a persons name) is required a webform is also required. Separate each part with the "|" pipe symbol. Replace spaces in names with "_".
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.